Dedo de prosa com três mulheres de Profundanças

ProfundançasProfundancas-e1419979399105 reúne literatura, fotografia, mulheres e seus versos guardados, tudo sob a organização da escritora Daniela Galdino. Aqui, um dedo de prosa com três das autoras presentes na antologia. Brisa Aziz, Say Adinkra e Valquíria Lima respondem às seguintes perguntas: esta é sua primeira publicação?; o que lhe motiva a escrever?; o que Profundanças representa em seu fazer literário?; Profundanças é um adeus aos escritos de gaveta?; como é participar de uma antologia com autoras inéditas depois de ter publicado seu próprio livro? Profundanças está disponível para download no seguinte endreço: http://vooaudiovisual.com.br/projects/profundancas/

BRISA AZIZ

Sangria

Sangro.

Toda vez que a voz me falta

e o alheio

            de tão pessoal

me cala.

Sangro.

Gota a gota

             devaneios

e venenos destilados

do organismo de terceiros.

Sangro partes

de palavras mal trocadas;

Sangro um sal

               mouro

trancada num estado de atenção.

Sangro só

mais uma prenhez que explode,

se refaz enquanto ode

de si mesma

à solidão.

Confesso que não seja fácil escrever sobre a minha escrita, tão irregular e cheia de insignificâncias no mundo. Mas essa desimportância toda que me concentra também me eleva e me sublima: escrevo porque sim. 

Exercito a palavra e me esvazio em poesia. 

Profundanças é minha primeira publicação e representou uma parceria muito gostosa com Daniela Galdino, poeta e amiga de longa data, e, por extensão, a esse grupo de pessoas das letras e das fotografia. Dani, que é dada a grandiosidades, foi quem enxergou uma teia que une e compartilha de mulheres “versificadas”. Como boa funcionária pública sistematizou, “organizou o movimento”.

Não creio que Profundanças represente o meu adeus definitivo aos escritos de gavetas. Gavetas “sempre hão de pintar por aí” rssss Mas elas poderão se abrir quando em vez… espraiar em versos. Tomara.

Fotografia de Ana Lee Imagem disponível na internet

Fotografia de Ana Lee
Imagem disponível na internet

SAY ADINKRA 

Vulnerabilidade

Pior que sua fatal ausência

É conviver com a presença funda

da memória de nós aqui dentro

Pior que essa sua fulminante ausência

É a presença embriagada

dos cheiros de você

espalhados na paisagem

Pior, pior, muito pior…

É a tua presença, tombada

No patrimônio histórico de mim.

1-Essa é sua primeira publicação? Não. É a segunda
2- O que lhe motiva a escrever? As camadas da vida… essas tão óbvias, mas não necessáriamente acessadas.

3- O que Profundanças representa em seu fazer literário? Uma dança, uma ginga da escrita feminina…

5- Como é participar de uma antologia com autoras inéditas depois de ter publicado seu próprio livro? O primeiro livro tb foi a coletanea Ogums Toques Negros, não foi um livro meu.

Me senti honrada, por estar num grupo de mulheres, escritoras muito importantes​… um ato de rebeldia feminina!

Say-Adinkra-e1417908334141

Fotografia de Fafá M. Araújo Imagem disponível na internet

VALQUÍRIA LIMA

Desacelerar de relógios

Chega um tempo que é de partida

Exalam fins.

Frutas doces caem… e apodrecem.

Papéis amarelos rasgam, desgastados.

Um velho licor açucara

e o som do telefone emudece.

Nasce um dia em que flores despetalam

e sementes novas vem nos encontrar.

Os barcos nossos desmoronam

todos os dias.

Mas, a busca não é de barco

É de mar!

1-Essa é sua primeira publicação? Não. Antes, publiquei o livro de contos “À Deriva”, pela editora Via literarum.

2-O que lhe motiva a escrever? Compreender o mundo que me cerca e a mim mesma. Muitas vezes, preciso escrever para existir e criar, externamente, o mundo que habita dentro de mim que, por sua vez, é uma relação direta com o que eu vivo e sinto.

3-O que Profundanças representa em seu fazer literário? Uma experiência mágica. Poder preparar o livro junto com as meninas e com Daniela. Tirar e escolher as fotos, escolher os poemas. Ver o resultado materializado. Ler as fotos das companheiras de poesia. Levar os poemas pra sala de aula. Tudo me engrandeceu demasiadamente.

4- Como é participar de uma antologia com autoras inéditas depois de ter publicado seu próprio livro? Como já disse, uma experiência mágica de compartilhar palavras e perceber que, como pra mim, elas são a ponte entre o sentimento e o mundo.

Valquiria-Lima-e1417908387557

Fotografia de Martinho Souza Imagem disponível na internet

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s