Ronda: oratório malungo – fragmento

ronda-oratorio

Imagem disponível na internet

Minha idade, você indagou?Este papel indica oitenta; mas quando meu pai me deu por nascido, eu já teria mais de dez. O cartório é na sede do município, onde ele ia de vez em quando, e pouco ficava. Demorou, demorou… Só fez o registro por insistência de minha mãe, pra que eu pudesse entrar na escola. Já viu? Olhe mais… Eu tenho cá outra certidão. Da igreja, da pia benta. Por ela, sou um pouco mais velho… E olha que já era taludo quando o padre molhou minha cabeça. Mas diga, neguinha, fale o que acha: quantos anos me dá? Setenta? Setenta e poucos?…  Oh, que beleza! Assim está bom… Vossa Mercê é uma doutora, mulher instruída; o que diz, se escreve. Não vou discutir, não vejo motivo. De que me serve o quê di quando? Sou novo, caçula, menino ainda! E sou mais velho que minha mãe. Como é que pode? Depois explico.

Ordep Serra (Ronda: oratório malungo)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s