Fotojornalismo

Buzinas. Abriu a janela. Olhou para baixo. Um corpo de sombras e asas no asfalto às dez da manhã. Aumentou o zoom e registrou.

A altura dos sonhos voou por todos os copos de cachaça. A cabeça aberta no meio-fio da avenida. Escapou do mundo numa topada.

O sangue transbordava o gole de vida restante.

A lente capturava mais uma matéria para o tablóide.

Lílian Almeida

fotografianoturna

Imagem disponível na internet

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s