O lago da lua

O lago da lua

No lago branco da lua
lavei meu primeiro sangue
Ao lago branco da lua
voltaria cada mês
para lavar
meu sangue eterno
a cada lua

No lago branco da lua
misturei meu sangue
e barro branco
e fiz a caneca
onde bebo
a água amarga da minha sede sem fim
o mel dos dias claros
Neste lago deposito
minha reserva de sonhos para tomar

Ana Paula Tavares (In O Lago da Lua, 1999)

Ana Paula Tavares nasceu na Huíla, Sul de Angola em 1952. Em 2004 foi-lhe atribuído o Prémio Mário António (para Poesia) da Fundação Calouste Gulbenkian. Recebeu o Premio Nacional de Cultura e Artes, Edicao de 2007 com o livro “Manual para Amantes Desesperados”.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s